> TESTEMUNHOS  
Américo D., 47 anos - Comerciante, Lisboa

[...] Não sei como dizer, mas a minha família neste momento, é tal, como aqui há uns anos atrás, algo de importantíssimo.

Este sentimento renovado devo-o a Deus e também ao Sr. Mário Costa.
Foi para mim, muito mais do que um irmão, dado à forma inteligente como me ajudou, numa época que espero nunca mais volte.

Nunca pensei que a função do detective fosse tão humana e eficiente. [...]
   
<< anterior seguinte >>